Compartilhar:

Tem coisas nessa vida que não nos compete saber…Coincidências existem? Não sei…

5 dias atrás eu estava saindo de casa e indo a academia quando uma pombinha mais conhecida como rolinha desceu próximo aos meus pés e achei estranho…Ela era um filhotinho ainda, andou rapidinho por medo de mim…percebi que estava meio machucada pela dificuldade em voar. Dei um passo em sua direção mas ela alçou voo…Então pensei: _ Juro que se ela não tivesse voado, por Deus eu iria cuidar dela, até que sarasse. Não sei, ela me comoveu…

Passaram-se três dias, já nem me lembrava do ocorrido, viajei no fim de semana para passar na casa de minha irmã e quando voltei, para minha surpresa, a mesma pombinha estava em meu escritório…no chão, em cima de uma mala na parte fofa da mesma…

Ao vê-la, imediatamente lembrei-me dela e fui pega-la mas ela quis voar…Deixei que  ficasse a vontade e passado uns 10 minutos tentei novamente, então a peguei nas mãos… Se debateu e naquele momento não sabia muito bem como cuidar dela mas providenciei um tipo de ninho dentro do meu crocs, ofereci água, também não sabia o que dar de comida, então vi uns vídeos no youtube sobre algo similar e aprendi a fazer uma papinha…

Passei a segunda feira inteira cuidando daquele ser, fotografei, filmei, fiquei feliz por pensar que ela ou ele, estava se recuperando…

Veio a noite de segunda, e as 22 horas, a acordei para dar a ultima papinha do dia, percebi que ela estava meio pra baixo…Mas achei que pudesse ser sono, comeu só um pouquinho, tomou um golezinho de água…coloquei a novamente no ninho de crocs, e como estava um pouco frio, coloquei um pedaço de feltro bem leve sobre suas costas e fui pro quarto para dormir…

Esta manhã ao acordar fui direto dar uma esquentada na papinha dela, coloquei na seringa, e para minha surpresa ela tinha ido…Estava morta. Olhei com certa tristeza a cena…Peguei-a em minhas mãos e queria entender o sentido disso. Parece que ela a cinco dias atrás sentiu que poderia confiar em mim e sei lá, me procurou, a casa da minha vizinha vive de janela aberta, meu escritório estava fechado, apenas com uma fresta pequena e foi por aquela fresta que ela fez o esforço do seu ultimo grande voo, para entrar em minha casa e ser cuidada por mim, como eu havia prometido em pensamento. Só Deus ouviu aquilo…

Não joguei seu corpo…a enterrei com todo amor e respeito e levarei comigo essa lembrança. Parece bobo, mas só quem tem alma e coração entende a magia de Deus por trás disso. Só não sei porque dela ter partido. Quando comecei a cuidar dela, visualizei sua partida, forte e feliz a voar rumo a fazer sua vidinha, sua família…Mas não foi assim.

Coincidências existem?…

 

Meu abraço forte e reconfortante a todos.

 

HC de Souza

Compartilhar: